Primeiras impressões do motor

Domingo consegui dar a primeira volta com motor novo. Falando rapidamente sobre os pneus e rodas. Não perdemos nenhuma, que era a preocupação, mas também não rodamos muito, nem muito rápido. Pneus mais macios e maiores deixaram ela melhor pra rodar. Principalmente menos barulho.

Agora, e o motor. Parado ele estava muito bom, mas a sabemos que quando coloca pra andar costuma ser diferente. E foi, bem diferente, melhor do que o esperado. Duas coisas me chamaram bastante a atenção. A progressão do motor durante a aceleração foi a primeira diferença que notei. E o torque mais presente em baixas rotações.

81411km no odômetro. Vamos amaciando até os 82411.

A progressão, que falo, é a constância enquanto você acelera. Sem necessidade de cravar o pé no fundo pro carro andar um pouco mais. Claro que se acelerar mais o carro responde mais. Porém a impressão é de um carro mais dócil se não quiser andar com o pé cravado.

Já o torque em baixa é um facilitador na hora de andar, não precisa trocar tanto de marcha. Reduzir de quarta pra terceira ou ainda pra segunda. O motor já havia melhorado quando trocamos os cabeçotes, mas parece que agora o conjunto está mais equilibrado. O comando W100 da EMPI parece trabalhar melhor com os carburadores preparados pelo Kiko com as borboletas maiores.

O ronco do motor mudou. Interessante que continua a mesma configuração, mas o som que sai agora na surdina é bem diferente. O barulho das válvulas diminuiu e o “barulho” ficou mais grave.

Enfim… a retífica do motor e a colocação de um miolo novo fez muito bem pra Eva. Vamos continuar amaciando o motor e vamos falando aqui. Ahh, abasteci com a Vpower, gasolina aditivada da Shell. Vamos ver o que muda.