Parati

Não sei bem se eu já comentei aqui do projeto da Parati BX, porém meus amigos sempre souberam dessa ideia. Pegar uma Parati quadrada, das primeiras que conviveram com os Gol BX lá no início da década de 80, trocar a frente e colocar um Boxer no lugar do motor AP.

Primeira foto que eu tirei dela.

Seria um projeto no mínimo estranho, porque para muitos não faria sentido trocar um motor mais moderno por um muito mais antigo apenas pelo propósito de torna-la Aircooled. Seria um ato por amor as causas perdidas.

Um projeto no estilo desse Golf da foto abaixo, porém com motor dianteiro, uma vez que a Volks já fez a parte complicada que seria adapta-lo na frente.

Foto retirada da internet. Golf com motor traseiro.

Particularmente eu acho bem interessante, mas é mais por curiosidade do que por necessidade e desde que você não estrague um carro bom para fazer algo apenas pelo prazer da realização.

Ao mesmo tempo que eu não ia pegar um carro bom para tocar pra frente esse projeto, também não estava mais nos meus planos salvar um carro da morte eminente ou de um fim inglório. Já salvei a minha cota de carros. White e Blue são dois casos. Mais a branca que não tinha nenhum atributo importante para dizer “nóssa essa merece”. Apenas os documentos.

Foto do anuncio.

Mas olhando um carro, olhando outro, pegando um link que um amigo mandou, seguindo pra outro indicado pelo site (OLX) acabei chegando nessa Paratí S, ano 1983 com motor 1.6 movida a Etanol. Achei pelas fotos muito bonita, alinhada e de pé, como falam. Não era aquele carro que parece derreter, todo remendado. Mas achei que era demais pra ser verdade.

Resolvi marcar, disposto a fechar negócio, mas fui pra achar um defeito pra dizer que não queria. Olhei o carro, andei nele, fui bem sincero com o antigo proprietário e acabei fechando o negócio.

Assim como a Brasília, a traseira da Parati é a minha parte preferida.

Fui ver num dia, no outro fui buscar. Acertamos toda a burocracia e voltei pra casa com mais um sonho realizado. Sempre gostei desse modelo, dessa época. Meu pai teve vários Passat… 1977, 79, 81 e todos tinham essa cara, as rodas se não são iguais são muito parecidas.

O caso é que eu gosto muito desse corte da traseira, por isso não fui atrás de um Passat que também seria uma ótima aquisição, no entanto mais raro de encontrar em muito bom estado com preço agradável.

Acostumado com os Aircooleds, achei muito bom o AP 1.6, que nos documentos diz que gera 92 cavalos. No manual são 72. Estranho a diferença, não sei pra que lado pensar. De qualquer forma é bem elástico. Na quinta marcha, ele tem uma boa potência para subir de 80 para 100km/h sem que fosse preciso baixar marcha. Algo parecido com que acontece na Brasília, mas lá estamos em quarta marcha.

Projeto?

E a vontade de fazer algo diferente, nesse momento, é menor que a vontade de deixar o carro como está. O carro está muito original, ao ponto de não dar vontade de modificar algo para que ele fique com outra cara.

Pra falar a verdade a frente eu até colocaria do BX, é algo que já vi e particularmente eu penso que fica muito bom. Aumenta o tamanho da frente. Na foto abaixo um grande exemplo do que falei. Não colocaria o bagageiro, não ia deixar tão baixa assim, mas o spoiler dianteiro sim.

Foto retirada da internet. Além dos faróis e da grade seria necessário também trocar o para choque porque os piscas no BX estão integrados nele.

3 thoughts on “Parati”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *