Os motores

Sendo a base praticamente a mesma dá pra migrar, com algumas mudanças ou nenhuma, vários componentes de todos os motores sem grandes problemas. Mas são três motores diferentes. Um 1300, dois 1600 e um 1600 tork. Esse é um dos motivos da grande longevidade dos motores aircooled da volkswagen.

No Fusca 1300 tudo praticamente e teoricamente original. Carburador 30pic com giclagem básica (quase original), platinado e dínamo. Vai bem, mas não dá pra esperar muito dos seus 46 cavalos, se é que todos estão lá. Para as arrancadas dava pra colocar um injetor maior. Alguns dizem que o injetor original (pro ano 1979) era 45, estamos usando o 55. Coloquei esses tempos um 70 e voltei pro 55.

Aí temos os 3 motores 1600 que tem praticamente a mesma configuração. A Brasablue é padrão. Dois carburadores Solex 32, sem alterações nos corpos. Injetores 60 e lenta 55. Eles ainda tem a parte da frente, com os afogadores. Até pouco tempo usavam giclê de lenta elétrico. Já tem algumas evoluções como a ignição eletrônica, aquela famosa do Gol MI, mas ainda tem dínamo. Da forma como chegou até mim mudei apenas os filtros dos carburadores. Era umas marmitas bem feias, banhadas a óleo. Não gostava.

Na White temos as primeiras modificações mais diferentes. Tinha platinado e um carburador, trocamos para o Hotspark e espetamos dois Solex 32. O Hotspark é como se fosse um dínamo eletrônico. Comparando com a ignição, elimina o módulo que é uma das partes que acaba gerando mais problemas. Tem alternador. Os Solex 32 foram substituídos por dois carburadores modificados com borboleta 34 e venturi 24 ao invés de 32 e 22, e temos filtros esportivos do Fuscanet. Giclê de lenta 67,5. Bem mais alto que o da Blue, por exemplo. Colocamos nela uma bomba de óleo EMPI externa, com filtro de óleo. Cerca de 3,7 litros rodam pelo motor.

Chegamos, finalmente, ao motor da Eva.

Começando pelo Hotspark igual ao da White, tiramos uma ignição xingling. Carburadores iguais também com uma única diferença, o giclê de lenta 70. Filtros esportivos EMPI. Por ser um motor Tork, tem algumas diferenças para os outros 1600. Os cabeçotes são diferentes, 6 aletas, as camisas, pistões e o radiador deslocado. De fábrica é a única que saiu com alternador. Tem bomba de óleo da EMPI com circulação externa, mas além do filtro de óleo, ainda temos mais um radiador. Mais ou menos 4,5 litros de óleo circulando.

Temos um filtro de óleo no respiro, ali acaba grande parte do que é condensado e aquela pasta meio nojenta.

Dentro do bloco a única diferença dela é o comando EMPI W100. Nâo chega a ser um comando daqueles bravos, mas dá uma boa diferença de torque em todas as faixas como diz o anuncio. Nos cabeçotes temos balancins EMPI com parafusos esféricos. E pra finalizar um escapamento dimensionado 4×1, não pra fazer barulho, apenas pra deixar mais solto.

A Eva foi o motor que mais trabalhamos, porque era o que mais precisava. Interessante também ver que conforme os carros foram chegando o número de upgrades foi aumentando. Os dois primeiros praticamente originais e os dois últimos muito fuçados. Mas isso é o mais legal. Pensar diferente.

Abaixo uma tabela de giclagem dos 1600

Blue White Eva
Injetor 60 50 50
Principal 155 155 155
Lenta 55 67,5 70
Respiro 115 115 115

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *